• Hospital Bom Pastor Ijuí

Hospital Bom Pastor lança projeto ambiental em parceria com a Unijuí

O Hospital, em parceria com o curso de Pós-Graduação em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade da Unijuí e o curso de Agronomia, está desenvolvendo o projeto ambiental Bosque Bom Pastor. A ideia é utilizar uma área disponível no pátio da instituição para a plantação de árvores das espécies frutíferas nativas e exóticas.

Em um primeiro momento, será realizado o preparo da área, e a partir do mês de agosto, quando não existir o risco de fortes geadas, será iniciado o plantio das espécies que vão integrar a composição do bosque. Além da atividade terapêutica, os frutos do pomar também servirão para o consumo da unidade hospitalar.


O projeto que contempla os sistemas ambientais, cuidado com o meio ambiente e a saúde mental, visa desenvolver como estratégia de socialização e recuperação de pessoas associando equipe multidisciplinar, buscando ampliar a proposta de tratamento, cuidado e terapia numa visão sistêmica e integral relacionando o homem com a natureza. “Trata-se de uma nova atividade a ser inserida, com o intuito de conceber práticas integrativas e complementares (PICs), como possibilidade de ser realizada com pacientes em tratamento, buscando transcender a simples tarefa terapêutica”, destaca o professor e coordenador do Mestrado Sistemas Ambientais e Sustentabilidade, José Antonio Gonzalez.


A Unidade de Saúde Mental do Hospital Bom Pastor, possui uma equipe multiprofissional que trabalha as diversas esferas da vida, e oferecer o contato com a natureza para os pacientes contribuirá no alívio do stress intrínseco ao ambiente hospitalar e a patologia. “O envolvimento e o cuidado com as árvores, o processo de poder colher as frutas do pomar, assim como a possibilidade de usufruir desse espaço junto a natureza vem agregar a área terapêutica já oferecida na Unidade de Saúde Mental do HBP”, afirma a coordenadora de Enfermagem, Luciane Mucelini.


O intuito é que os recursos para a criação e manutenção do bosque sejam captados através da ação “Invista no Bem”, da Sicredi das Cultuas RS/MG. Para o professor da Unijuí e vice-presidente do Hospital Bom Pastor, Ivo Ney Kuhn, o bosque traduz natureza, saúde, bem estar, vida e esperança. “Penso que um bosque, no espaço que dispomos, pode fazer parte de um processo terapêutico aos usuários do sistema de saúde e do Bom Pastor. Agregar a esta proposta árvores nativas frutíferas para que pássaros e pequenos animais se incorporem ao ambiente constituído, certamente oferecerá diferencial, em sintonia com a nossa missão”.


A mestranda em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade Daiana De Quadros, desenvolve sua pesquisa acadêmica junto ao CAPS AD do Hospital Bom Pastor e acompanha as atividades terapêuticas, como a hortoterapia. “O projeto de criação de um bosque de árvores frutíferas tem um cunho ambiental e social e sobre tudo de saúde, pois um dos objetivos é oportunizar aos internados no HBP um espaço de convivência onde possam realizar atividades terapêuticas em contato com o meio ambiente”.


Através desse projeto, a parceria entre Unijuí e Hospital Bom Pastor continuará se fortalecendo como acontece há muitos anos. Para o professor do curso de Agronomia da Unijuí, Osório Luchese, esse trabalho integrado é essencial para a concretização desta iniciativa. “Nós possuímos um viveiro florestal que produz em torno de 70 espécies florestais nativas todos os anos. É um viveiro de alta diversidade e os diferentes projetos que desenvolvemos em todo o Rio Grande do Sul nos deu expertise suficiente nesses mais de 20 anos de trabalho, para mostrar qual é a melhor forma de implantar sistemas com árvores, especialmente as nativas, que possuem sistemas um pouco mais complexos e uma dinâmica que chamamos de sucessional específica. Conseguimos um certo domínio desse conhecimento e isso é o diferencial da Unijuí dentro do curso de agronomia”.


O envolvimento e preocupação do Hospital Bom Pastor com o meio ambiente é algo que já ocorre há muitas décadas, como destaca o membro da diretoria, Jenoir Schiavo. “Desde que comecei a atuar como voluntário acompanhando a construção do hospital, lembro que nunca ficou esquecido o florestamento nos passeios públicos e internos e canteiros, sempre com auxílio de colaboradores do hospital, de engenheiros florestais e colegas voluntários. Hoje surge um novo desafio, que é o aproveitamento do espaço ainda livre do terreno. E a primeira ideia foi a implantação de um pomar com espécies da região que se adaptem a situação do local. O espaço será delimitado, reservando locais para outras instalações que o hospital possa vir a utilizar no futuro para outras construções. Sempre estaremos preocupados com a questão de arborização e floricultura, e com a vida, saúde e bem estar”.

A previsão é que sejam plantadas aproximadamente 200 mudas.







39 visualizações0 comentário