Bom Pastor promove 1ª Jornada de Saúde Mental

14/09/2010 09:18

A 1ª Jornada de Saúde Mental do Hospital Bom Pastor reuniu profissionais da área, estudantes e comunidade, tendo como tema central Perspectivas e Desafios, Depressão e Dependência Química.

O evento teve sua abertura oficial na quinta à noite com o debate sobre  Saúde Mental na Promoção da Vida.

Na manhã de ontem, quem palestrou foi a doutora em Serviço Social, Maria da Graça Turk, que falou sobre Família como Espaço de Manutenção ou de Superação da Dependência Química. "Precisamos entender como a família reproduz uma sociedade em que transforma o sujeito em consumidores de droga, fazendo com que haja a violação dos direitos dentro da própria família", disse.

Ela enfatizou que todo o profissional que trabalha com dependência química nunca deve perder a paixão. "Temos que acreditar e ter esperança de que é possível transformar e ter esse compromisso criando espaços para superação desses processos de violência", comenta a especialista.

Maria da Graça também falou como o poder público deve agir na situação de drogadição de jovens e crianças. "Se comprometendo com a articulação de políticas públicas que garantam os direitos, independentes dos interesses partidários", destaca.

A palestrante também abordou o papel dos pais em saber estabelecer limites e buscar ajuda, sem se distanciar da realidade do dependente. "É preciso incentivar o jovem a reassumir o controle de sua vida e buscar o seu espaço, a sua autonomia sem deixar a sua vida na mão do traficante", afirma observando ainda que essa é uma decisão que precisa de incentivo dos pais, mas que precisa da conscientização e ajuda.

Quanto à reincidência de jovens que conseguem largar da droga com ajuda de tratamento, mas têm recaída, Maria da Graça alerta que a drogadição deve ser vista como um problema social. "Uma coisa é trabalhar o adolescente, outra coisa é trabalhar o espaço do qual ele foi oriundo, porque ele vai voltar para esse espaço e isso pode conduzí-lo novamente às drogas se não for tranformado."

Outro destaque em sua abordagem foi referente ao papel da escola no compromisso de promover espaços de convivência saudável para prevenir as situações de drogadição. "É preciso que cada vez mais a escola invista em espaços pedagógicos de aprendizagem que tragam prazer para os adolescentes através de  atividades diferenciadas como a música, o canto, o teatro", exemplifica ressaltando que são ações que devem ser lincadas com a aprendizagem. "Os jovens devem  viver seu processo de desenvolvimento sem ser reprimidos para que se constituam como cidadãos contestadores", concluiu.

 À tarde, as atividades iniciam-se às 13h30 com a doutora em Saúde Pública, Bernade Dalmolin, que abordará o tema Cuidado em Saúde Mental em Situação de Crise.



Conheça o
Novo
Bom Pastor!